quarta-feira, 12 de agosto de 2009

PROCEDIMENTOS PARA TRABALHO EM ALTURA



Objetivo: regulamentar os serviços em locais elevados, estabelecendo padrões mínimos de segurança, bem como cumprir exigências legais, visando garantir a segurança física do trabalhador.

Observação - O serviço só será iniciado após a emissão da permissão para trabalhos especiais (PT).

PESSOAL
1) O trabalhador deverá possuir Atestado de Saúde Ocupacional (ASO), constando exame de Eletroencefalograma, emitido pelo médico coordenador do PCMSO acusando que o trabalhador esteja apto para executar trabalhos em altura.

1.1) Poderá ser necessário outros exames a critério do médico da empresa.

1.2) A validade do ASO para trabalho em altura será de 6 meses. A data do vencimento do ASO e anotação de “apto” para altura deverá constar no crachá do funcionário

1.3) O trabalhador deverá possuir idade entre 21 e 45 anos e biotipo adequado.

2) Ser especializado no trabalho em que for executar, bem como estar familiarizado com os equipamentos inerentes ao serviço.

3) Utilizar os EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) conforme disposto na NR 6 e NR 18 da Portaria n.º 3.214/78 do Ministério do Trabalho, vigente e os indicados pela Segurança do Trabalho da empresa.

4) É obrigatório uso do cinto de segurança, tipo pára-quedista com duplo talabarte para todo serviço em altura.

5) Todos os trabalhadores em serviço em altura devem utilizar-se de capacete com jugular.

6) Utilizar roupas adequadas ao trabalho executado, não sendo permitido o uso de sandálias e chinelo.

7) Não é permitido brincadeiras, ou jogar ferramentas do local elevado.

8) Utilizar o cinto porta-ferramentas ou bolsa própria para guardar e transportar ferramentas manuais.

ANDAIMES

Obs.: Andaimes constituem um aspecto muito importante de construção. É indispensável uma determinação criteriosa na colocação, seleção e qualidade do material a ser utilizado na montagem de andaimes. Devem ser seguidas todas as determinações do Item 18.15, da NR-18 do Ministério do Trabalho e Emprego.

1) É obrigatório o uso de cinto de segurança tipo pára-quedista com duplo talabarte na montagem e desmontagem de andaimes.

2) Utilizar andaimes e escadas em perfeitas condições de uso e que estejam posicionados e montados de forma adequada e segura.

3) É obrigatória a instalação de proteção coletiva tipo, guarda corpo, plataformas, etc. onde houver risco de queda de trabalhadores ou de materiais.

4) Os andaimes deverão ser montados longe de instalações elétricas, e onde possam ser atingidos por máquinas ou equipamentos.

5) Os andaimes móveis só poderão ser utilizados em superfícies planas.

6) A estrutura do andaime deve ser convenientemente contraventada e ancorada de tal forma a eliminar qualquer oscilação.

7) Os andaimes com altura maior que quatro vezes, a menor largura da base deverão ser amarrados ao prédio ou em local com resistência adequadas ou estaiados.

8) É obrigatório o uso de placas de base (Sapatas metálicas medindo no mínimo 20x20 cm, com fuso nivelador).

9) A distância máxima permitida entre andaimes com piso contínuo é de no máximo a largura do andaime.

10) Andaime com altura igual ou maior à 4,5 metros, deverá ser utilizado trava-quedas.

11) Para montagem e desmontagem de andaimes com altura superior a 2 metros, é obrigatório o isolamento da área envolvida com: cordas, fitas zebrada, correntes plásticas , placas de advertência.

12) É proibido a utilização de arames com bitola menor que 3/16” (4,8mm) para realizar travamento externo dos andaimes.

13) Os andaimes móveis devem ser amarrados, calçados e fixados durante a sua utilização, a fim de evitar o seu deslocamento e tombamento.

14) Não será permitida a movimentação de andaimes móveis com a permanência de pessoas sobre a plataforma de trabalho (tablado).

15) Os andaimes com mais de 2 metros de altura, deverão ter escada de acesso acoplada na própria estrutura do andaime.

16) Em quaisquer atividades em que não seja possível a instalação de andaimes, é permitido o uso de cadeira suspensa ( balancim individual).

17) Manter em todo o andaime ou escada a identificação de Firma usuária.

18) Independente da altura do andaime, manter sua base nivelada, a estrutura aprumada e ancorada, além de sua estabilidade garantida.

19) Quando utilizar torres de andaime providos de rodízios em base, os mesmos devem possuir sistema de trava de segurança.

20) Não é permitido o deslocamento destes andaimes com tábuas soltas, pessoas e materiais em sua parte superior.

21) Utilizar, para plataforma dos andaimes, tábuas brutas de 30 cm de largura e espessura maior ou igual 5,0 cm sem nós, rachaduras, empenamento, etc., as quais devem estar devidamente travadas.

22) As tábuas de piso deverão estar travadas e o piso do andaime deverá ser completamente coberto por tábuas.

23) As tábuas deverão ultrapassar 10 cm da área de apoio a serem travadas.

24) Instalar rodapé com 20 cm e guardas laterais de 1 metro de altura ao redor da plataforma de trabalho.

25) A montagem, desmontagem ou modificação de qualquer tipo de andaime (Fixo, móvel, suspenso, fachadeiro, tubolar) deve ser acompanhado pelo supervisor da empresa.

ESCADAS

1) Utilizar escadas de madeira, sem pintura, em perfeitas condições de uso.

2) Toda escada deve ser amarrada nos seus apoios.

3) Não é permitido o uso de escadas improvisadas.

4) As escadas de encostar de lance simples (singela) ou extensível, devem ser providas de sapatas de segurança.

5) As escadas portáteis e corrimão não devem apresentar farpas, saliências ou emendas.

6) As escadas deverão ter espaçamento entre os degraus de até 30 cm.

7) A altura máxima de uma escada de abrir será de 6 metros.

8) As escadas provisórias tipo escadaria deverão possuir guarda-corpo, altura de 1,20 m, rodapé de 20 cm, corrimão, piso anti-derrapante mais balaustre (montante), largura mínima de 80 cm, inclinação máxima de 35º.

9) A altura máxima permitida para escada de mão é de 7 metros

10) Toda escada deve passar 1 metro do nível que se quer atingir ou do ponto de apoio superior.

11) Escadas de mão só podem ser utilizadas para acessos rápidos e eventuais.

12) Nas escadas de mão o trabalhador deverá utilizá-la sempre de frente para os degraus e não deverá carregar objetos nas mãos para subir e descer.

13) Os funcionários que forem trabalhar perto de cabos energizados deveram utilizar escadas de madeira ou fibra.

14) As escadas devem ser montadas em boas condições, devendo ser inspecionada pelo usuário antes de seu uso.

15) A distância (b) medida entre o ponto de apoio inferior/base e a vertical que passa pelo ponto de apoio superior da escada de mão deve ser de 30% da altura (a) formada entre o apoio superior da escada e a base.

QUANTO À MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE DE MATERIAIS.

1) Deve haver um código de sinais, para comandar as operações dos equipamentos.

2) Os sinais recomendados são:

a) ELEVAR A CARGA - antebraço na posição vertical; dedo indicador para mover a mão em pequeno círculo horizontal.

b) ABAIXAR A CARGA - braço estendido na horizontal; palma da mão para baixo; mover a mão para cima e para baixo.

c) PARAR - braço estendido; palma da mão para baixo; manter a mão rígida na posição.

d) PARADA DE EMERGÊNCIA - braço estendido; palma da mão para baixo; mover a mão para a direita e a esquerda rapidamente.

TRABALHOS EM TELHADO


1) Não é permitido a realização de serviço em telhado com concentração de carga num mesmo ponto.

2) Para deslocamento em telhado deverá utilizar sistema de distribuição de peso tais como passarelas metálicas com guarda-corpo e/ou tábuas brutas de 30 x 3,0 cm sem nó, rachadura e empenamento.

3) Devem ser implantados cabos guia para fixação do cinto de segurança.

4) Não será aceito a utilização de cordas como guarda-corpo.

5) O guarda-corpo provisório deverá ter altura de 1,20 m rodapé de 20 cm.

6) O uso de passarela e tábuas não dispensa o uso do cinto de segurança tipo pára-quedista fixado em cabo guia equipado com trava quedas.

CADEIRA SUSPENSA

Objetivo: Para trabalhos em altura em que haja necessidade de deslocamento vertical, quando a natureza do trabalho assim o indicar.

1) A sustentação da cadeira deve ser feita por meio de cabo de aço.

2) A cadeira suspensa deve dispor de:

a) Sistema dotado de dispositivo de subida e decida com dupla trava de segurança.

b) Atender os requisitos mínimos de conforto previsto na NR 17-Ergonomia.

c) Sistema de fixação do trabalhador por meio de cinto.

3) O trabalhador deve utilizar cinto de segurança tipo pára-quedista, ligado ao trava-queda em cabo-guia independente.

4) A cadeira suspensa deve apresentar na sua estrutura, em caracteres indeléveis e bem visíveis, a razão social do fabricante, o n.º do C.A. e o CNPJ.

5) É proibida a improvisação de cadeira suspensa.

6) O sistema de fixação da cadeira deve ser independente do cabo-guia e do trava-queda.

7) As cadeiras suspensas não deverão estar presas a guindastes ou a qualquer tipo de guincho motorizado.

CABOS-GUIAS

Objetivo: Servir de sustentação ao cinto de segurança, para trabalhos em altura que exigem o deslocamento do trabalhador, ou em locais onde não exista possibilidade de fixação do cinto sem o cabo-guia.

1) São obrigatórios para trabalho em altura que exigem deslocamento, evitando que o trabalhador fique solto por falta de ponto de fixação do cinto ou quando da mudança do ponto de acoplamento / fixação.

2) Os cabos de aço deverão ser conforme as recomendações da NBR 6327/83 da ABNT e nunca menor que 8,0 mm de diâmetro. Devem ser fixados por meio de clips conforme normas técnicas.

3) Os cabos-guias devem ter suas extremidades fixadas à estrutura definitiva da edificação por meio de aço inoxidável ou outro material de resistência e durabilidade equivalente.

4) Os cabos-guias devem ser substituídos, quando apresentarem condições que comprometam a sua integridade, em face da utilização a que estiverem submetidos.

5) Quando não existir cabo-guia definitivo no posto de trabalho a Empresa deverá fixá-lo de forma temporária durante a realização do serviço.

6) O cabo-guia com instalação temporária deverá ser inspecionado após montagem, pelo Técnico de Segurança ou Supervisor, que expedirá Autorização para execução do serviço, através do formulário Permissão de Trabalho (PT).

OBSERVAÇÕES GERAIS

1) É proibido o uso de cordas de cizal para qualquer trabalho em altura.

2) É permitido o uso de corda de poliéster branca para cabo-guia e trava queda, amarração de andaimes e içamanto de cargas, desde que seja utilizado coeficiente de segurança 5 e que não se trate de trabalho a quente.

3) É obrigatório o cinto de segurança tipo pára-quedista com duplo talabarte de metal para trabalhos a quente.

4) Todo trabalho em altura deverá ser sinalizado com os dizeres:

- RISCO DE QUEDA DE MATERIAIS
- PERIGO HOMENS TRABALHANDO ACIMA
5) É proibido trabalho em altura com sobreposição de equipes. Caso não haja outra alternativa, fazer proteção tipo cobertura, canal ou rede de proteção.

6) Quando houver necessidade a critério da Segurança do Trabalho, deverá ser utilizada redes de proteção contra queda do trabalhador e de objetos ou ferramentas.

7) As ferramentas inclusive manuais deverão ser amarradas a estrutura, podendo ser amarrada na mão ou no cinto do trabalhador quando se tratar de ferramentas leves. Para tal deverão ter um cordão ou fio de nylon fixado as mesmas, possibilitando essa amarração.

8) Quando houver rede elétrica ou barramentos de ponte, com risco de contato do trabalhador ou ferramentas, estes deverão ser desligados (ENERGIA ZERO).

9) Os cintos de segurança deverão se inspecionados pelos trabalhadores e supervisores.

10) Verificar as condições de acesso para o trabalho em altura antes de iniciar o serviço.

11) Para trabalhos com balancim leve, pesado ou individual seguir todas as recomendações da NR 18.

12) Para instalação de Cabos-guias em telhado ou onde necessário poderá ser exigido o uso de trava-quedas retrátil.

13) Ter um responsável pela equipe, afim de coordenar os trabalhos, bem como facilitar aplicação das normas de segurança.

14) Sinalizar, isolar a área respectiva do serviço a ser realizado na parte inferior.

15) Não executar trabalhos em telhados nos dias de chuva, com vento excessivo, com telhas molhadas ou sobre fornos onde haja emanação de gases.

16) Quando o trabalho for executado no nível do piso e existir desnível ou abertura com risco de queda do trabalhador, deverão ser adotadas todas as recomendações exigidas para trabalhos em altura. Devendo quando possível for protegido o desnível com guarda-corpo.

17) Deverão ser seguidas todas as recomendações da NR-18 do Ministério do Trabalho, entre elas os itens 18.12 à 18.16, 18.18,18. 22 e 18.23.


43 comentários:

  1. boa tarde,
    gostaria de saber qual a referência utilizada quando se fala da cadeira suispensa, está em alguma lei? Preciso destas informações pois estou com uma empresa prestando serviços em minha empresa e estão utilizando cadeiras improvisadas por isso preciso da norma para argumentar com o responsável pelo serviço!
    desde ja agradeço!
    clarissacoliveira@hotmail.com

    Clarissa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualquer equipamento que seja pra ser utilizado para trabalho em altura, ele tem que estar normatizado de acordo com a NR18 e com o CA. Se este equipamento for improvisado, ele em hipotese alguma poderá ser utilizado.

      Excluir
    2. Recomendo a consulta de normas mais específicas, como as listadas abaixo:

      ABNT NBR 14751:2001 – EPI – Cadeira Suspensa – Especificação e Métodos de Ensaio.

      ABNT NBR ISO 2408:2008 – Cabos de aço para uso geral – Requisitos Mínimos.

      Excluir
  2. Gostei! Era o que eu estava procurando.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde gostaria de saber qual e o documento que espcifica a altura minima de 2,00 metro para utilização do cinto paraquedista.
    jahsonschirmer@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. ótimos comentários....obrigada esse blog é muito importante em vários aspectos, estou começando na área e está servindo bastante....parabénss!!!

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde gostaria de saber qual é o documento ou a norma que espcifica a altura minima de 2,00 metro para utilização do cinto paraquedista.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Gostaria de saber se é obrigatório o talabarte tipo y no trabalho em altura ou posso usar o cinto com dois talabartes comuns. A diferença de preço é enorme. Rsrs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde anônimo!!!

      Você já escalou um andaime, torre ou estrutura com aqueles talabartes com gancho pequeno???
      Experimente, depois decida qual você vai comprar. Quem indica estes talabartes nunca trabalhou em altura com deslocamento.

      Eudair Pinheiro - TST
      14 81644509

      Excluir
  7. esta semana fui proibido de instalar uma persiana porque estava há uma altura de 1,30 mt do piso sobre uma escada.
    Esta proibição está correta?

    marcos
    e-mail: mdploter@terra.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. de acordo com a NR 18.23.3

      acima de 2.00 metros você deve utilizar cinto de segurança, então esta proibição esta incorreta
      a não ser se o estado da escada esta incorreto caso contrario
      sem problemas :)

      Excluir
  8. Oi! Qual norma fala que precisa ter mais de 21 anos para trabalhar em altura, desculpa procurei até na NR e não achei será que pode me ajudar. Obrigado

    ResponderExcluir
  9. ola gostaria de saber qual altura maxima posso subir sem o cinto de segurança e sem o trava quedas, obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 2 metros. Dependendo da empresa, a altura permitida passa a ser até menor.

      Excluir
    2. 2,00 m 18.23.3

      Excluir
  10. gostaria de saber um pouco mais sobre solda, na empresa onde realizo o meu estágio Técnico em Segurança do Trabalho a equipe de colaboradores utilizam solda eletrica para fazer acabamento de peças, e surgiu uma duvida sobre a tonalidade da lente da mascara de solda. Usa-se cada lente para uma determinada solda? Ou depende de quando o colaborador vê que está bom para soldar. Tem alguma norma que fala sobre a solda e a tonalidade da lente especifica para cada serviço. Duvidas também sobre trabalho em altura qual norma fala que precisa ser maior de 21 anos para trabalhar em altura, os colaboradores também realizam trabalhos em altura.
    Obrigado!

    e-mail:kaile_l@yhoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje em dia em relação a solda existem mascaras de solda eletronica que quando o soldador abre o arco de solda, a lente escurece a medida da intensidade do foco de luz. É um equipamento de alto custo, porém traz maior comodidade ao colaborador e um acabamento final melhor em relação ao trabalho.

      Excluir
  11. ISMAEL DIAS DE ALMEIDA´
    CONSULTOR TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRBALHO
    E-MAIL ISMAELDIAS_JUNIOR@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  12. Prezado. bom dia.

    Poderia me informar qual norma técnica que trata sobre a forma de colocação dos clips nos cabos de aço.

    Obrigado.

    Jhonathantst@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  13. Parabens desenvolveram um otimo trabalho continuem assim.

    ResponderExcluir
  14. as lentes das solda sao uadas de 10 a 14 para arco eletricos, mig, mag..., é de acordo com a necessidade do soldador, em um ambiente fechado, de noite, com pouca iluminação há uma maior necessidade de ultilizar uma lente com o tom maior 14, em ambiente amberte ao luz do dia a mais comun é a 12, o processo de solda com maçarico usa-se o tom 06, solda é complicado, mão conheço nenhuma recomendação, tirando as de prevenção de incendio relacionado a solda, ressalto que existe cortinas anti chamas e radiação, é uma maneira muito eficiente de proteger os colaboradores envolvidos indiretamentes no processo de soldagem

    ResponderExcluir
  15. MUITO BOM!!! ESSE MATERIAL VEIO NA HORA CERTA! ESTAVA PENSANDO EM COMO SOLUCIONAR UM PROBLEMA E RESOLVI VÁRIOS DE UMA ÚNICA VEZ!!! PARABÉNS!!!

    ResponderExcluir
  16. olá
    bom dia

    existe alguma altura maxima para a instalação da linha de vida?

    ResponderExcluir
  17. Obrigado pelo comentário sobre a solda.
    Agora sei o que é correto.

    ResponderExcluir
  18. obrigado pelo blog, nos ajudou muito !
    alunos do SENAI- Paraná.
    Curso Técnico em Segurança do Trabalho.

    ResponderExcluir
  19. trabalho em altura da direito adicional de periculosidade?

    ResponderExcluir
  20. A ICASOL agradece o artigo..para que todos nossos colaboradores tomem ciência da responssabilidade da profissão.

    ResponderExcluir
  21. Utilizei este material para instruir o pessoal da obra na qual trabalho, devido a utilização de palavras bem simplicificadas e conter os procedimentos a ser executado em um trabalho com alturas.

    Muito bom!!!

    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde pessoal. Sou Técnico em segurança a mais de 15 anos no ramo de construção civil e outros. Esse site está me ajudando muito. Como sempre me disseram: A gente está sempre aprendendo algo a mais.
    Valeu mesmo.
    Abraços e muito obrigado

    ResponderExcluir
  23. Trabalho separando produtos de tamanhos e pesos variados,em um deposito,com uma gaiola de ferro pressa e levantada por a empilhadeira eletrica a uma altura de 1 a 8 metros de altura, preso a um cinto de paraquedista. Sera que tenho direito ao adicional de perigulosidade ?

    ResponderExcluir
  24. Adorei seu Blog ! Me ajudou muito ....

    ResponderExcluir
  25. Gostaria de saber quando se fala de cadeira suispensa, qual a lei que me fala. com maiores especificações. Para eu poder refletir, com moires detalhes diante dos colaboradores.email:josimar_tst@hotmail.com

    ResponderExcluir
  26. Estou fazendo um trabalho sobre a nr-35, que é trabalho em altura.então podemos afiirmar que a nr-35 e a nr-18 estão relacionadas??

    ResponderExcluir
  27. Ola.. existe algua norma para empresa prestadora de servicos em altura?

    ResponderExcluir
  28. Qual a norma ou lei que define idade minima ou maxima para trabalho em altura?

    ResponderExcluir
  29. gostaria de saber qual norma tec. que trata da idade do trabalhador em altura
    ou seja acima de 21 anos como esta postado que pode realizar esse tipo de serviço?

    douglas.campos.18@gmail.com

    ResponderExcluir
  30. muito bom o blog adorei e visitarei mais

    ResponderExcluir
  31. Bom dia, gostaria de saber em qual item na nr 18 você tirou que: A distância máxima permitida entre andaimes com piso contínuo é de no máximo a largura do andaime.

    Porque não estou encontrando nada que fala sobre isso... grato Vitor.
    vitorlnp@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  32. Vitor, o item 18.15.18 fala sobre a altura máxima que o andaime simplismente apoiado pode estar sem estaimento (amarrado a estrutura) que É 4 vezes a largura da dimenção da base de apoio. você tambem pode ver no you tube alguns videos de sabino-sst.bogpo.com audior fiscl do trabalho la voc^vai tirar muitas dúvidas eu recomento a todos os tecnicos e engenheiros de seg. verem ! Adilson Santos- TST.

    ResponderExcluir

Expresse sua opinião, comente com inteligência. Sem agressões!